Fibras

 

As fibras são atualmente conhecidas como polissacarídeos sem amido (PSA).

Alimentos ricos em fibras insolúveis

Pão integral, bolachas e cereais são exemplos de alimentos com fibras insolúveis. As fibras insolúveis não são metabolizadas pelo intestino.
É difícil definir tecnicamente a fibra alimentar, e a análise do conteúdo de fibras dos alimentos pode ser problemática. Grupos governamentais recomendaram que o termo polissacarídeo sem amido fosse utilizado nos rótulos de alimentos. Contudo, como o termo que a maioria das pessoas conhece é fibra, este é o termo utilizado neste site.

O que são fibras?

As fibras são o principal componente das paredes celulares das plantas e são resistentes às enzimas que digerem os alimentos. A maioria das fibras da dieta é derivada das frutas, vegetais e cereais. No trigo, milho e arroz a fibra é basicamente insolúvel, enquanto na aveia, cevada e centeio é basicamente solúvel. Nas frutas, varia a proporção entre fibras solúveis e insolúveis. Cada tipo de fibra tem um papel diferente na digestão.
As fibras insolúveis aumentam o volume e a umidade das fezes. Elas previnem e aliviam, portanto, a constipação ao reter água no intestino. O maior volume aumenta a velocidade de trânsito das fezes e reduz a pressão no intestino. A redução na pressão ajuda a prevenir a diverticulite.

Alimentos ricos em fibras solúveis

Boas fontes de fibras solúveis incluem aveia, feijão, lentilhas, ervilhas e muitas frutas.
As fibras solúveis têm pequeno efeito na evacuação. Contudo, elas unem os ácidos biliáticos, os quais são ricos em colesterol. O colesterol encontrado na bile é usualmente reabsorvido para o corpo. As fibras solúveis previnem esta reabsorção a fim de que mais colesterol seja perdido nas fezes e menos colesterol retorne para a corrente sangüínea. Isto pode ser importante na prevenção de doença coronariana.
A digestão e absorção dos carboidratos são mais lentas quando há um bom suprimento de fibras em sua dieta. Isto resulta em uma liberação mais gradual de glicose no seu sangue, o que é especialmente importante para diabéticos. As fibras fazem com que você se sinta satisfeito porque, ao absorver água, elas aumentam de volume.

Quanta fibra você precisa?

Um recente comitê governamental recomendou que a dieta adulta deve conter de 12 a 24 gramas de fibra por dia, oriundas de fontes variadas. Esta quantidade poderá ser atingida através do consumo de cinco porções de frutas e vegetais por dia.
Não há recomendações específicas para crianças além da sugestão de que o consumo de fibras deve ser relacionado ao tamanho do corpo, portanto as crianças precisam proporcionalmente menos que adultos. As crianças com menos de dois anos não devem receber fibras no lugar de alimentos ricos em energia que são necessárias para o crescimento.
Geralmente, os alimentos ricos em fibra têm maior volume, têm menos energia concentrada e são mais passíveis de satisfazer a fome do que alimentos sem fibras. Estas características sugerem que as fibras têm um papel útil em dietas para reduzir
o peso.

Histórico do caso: Diabetes Mellitus

Mary era uma tenista hábil até se aposentar. Ela, então, tornou-se mais sedentária e começou a ganhar peso. Ela notou que estava sempre cansada e pensou que isso se dava, pelo menos em parte, pela necessidade de ir ao banheiro pelo menos duas vezes durante a noite.
Mary consultou seu clínico-geral, que lhe solicitou uma amostra de urina. Com uma simples tarjeta de medição da glicose na urina, o médico descobriu que Mary apresentava muita glicose. Ele fez então o teste da picada no dedo, que revelou que o seu nível de glicose no sangue também estava alto. Mary foi diagnosticada com diabetes mellitus tipo 2. Esta condição poderia ser tratada com uma mudança na dieta, com ou sem medicamentos. A nutricionista analisou a dieta normal de Mary e percebeu que ela estava ingerindo muito açúcar refinado e gordura. Foi proposto um plano de alimentação saudável. Mary precisaria controlar o seu consumo de calorias para perder peso. Precisaria comer uma variedade de alimentos, além de fazer refeições e lanches regulares. Ela também necessitaria comer menos gordura, mais frutas e vegetais - idealmente cinco porções por dia - e incluir mais fibra em sua dieta.
A nutricionista também disse a Mary que ela deveria utilizar produtos feitos especialmente para diabéticos. Estes contêm ingredientes com pouca glicose, mas que são ricos em outros carboidratos refinados ou contêm adoçantes como o sorbitol.
Uma vez que o peso de Mary voltou ao normal, sua diabetes teve grande melhora. Ela estava apta a monitorar o seu nível de glicose, utilizando testes simples de sangue e urina. Quando Mary passou a se sentir menos cansada, ela associou-se ao clube de tênis local. Os exercícios regulares melhoraram sua saúde geral, o que tornou mais fácil o controle dos seus níveis de glicose.

Pontos centrais

• Os carboidratos são uma fonte importante de energia na sua dieta.
• Procure comer mais alimentos com carboidratos e diminuir a gordura.
• Os carboidratos complexos (amidos e fibras) fazem você se sentir satisfeito.
• Vitaminas e sais minerais • As vitaminas e os sais minerais são uma parte essencial de uma dieta balanceada. Eles são necessários em pequenas quantidades ao organismo para as reações químicas vitais, como extrair energia do alimento. Eles são normalmente denominados micronutrientes. A falta de vitaminas e sais minerais pode levar a problemas de saúde e causar doenças.

Fonte: Guia da Saúde Familiar - revista ISTOÉ - Volume 16 - 03/2002 - http://www.lincx.com.br